Tribunal Internacional. Rússia de Putin deverá pagar indenização a Ukraina.

Já está próximo o momento, em que Rússia e o próprio Putin deverão pagar, na integra, por todos os crimes.

Radio Svoboda (Rádio Liberdade), 08.05.2016
Viktor Kaspruk

Foto colagem do site do russo Volodymyr Basmanov com o qual ele ilustrou seu discurso ao Tribunal Internacional de Haia exigindo julgamento de Vladimir Putin.

Putin confia tanto em sua completa impunidade, que não preparou o seu caminho para recuar. Mas, como disse certa vez um homem sábio, uma grande política parece um supermercado, você pode pegar tudo o que quiser, mas no final precisará pagar por tudo.

Nos últimos anos, Putin fez na arena internacional tudo, o que queria. Tentou mudar em proveito de Moscou a ordem mundial: ilegalmente anexou a Criméia ukrainiana; empreendeu guerra e ocupou parte das regiões de Donetsk e Luhansk; tentou “abarcar” as regiões sul e leste da Ukraina, fazendo provocações lá através do FSB e GRU (Serviço Federal de Segurança da FR e Direção Principal de Inteligência) motins e discursos anti-estado pagos às forças marginalizadas.

Mas a sua “pele fraca e rugosa” de possibilidades do “heroísmo” putiniano atingiu seu mínimo crítico.

E, já está muito próximo o momento, quando Rússia e o próprio Putin precisarão pagar, na íntegra, por todos os seus crimes.

Claro, poderão haver discussões, aonde deverá haver o Tribunal Penal Internacional sobre putinismo, e exatamente quem deverá ser sujeito ao processo criminal da elite governante russa, generais do FSB e exército, o mais próximo cerco político e empresarial de Putin por todos os seus atos criminosos.

Caricatura política Alex Kustovskyi

Precisa apresentar a Moscou a fatura total por sua aventura geopolítica.

Mas, é claro, independentemente do local onde vai acontecer este tribunal Internacional (em Haia ou Nyurnbergue), a evidência do envolvimento da gestão do topo da Rússia para as ações ilegais e ilícitas no território da Ukraina é necessário recolher já, agora.
Elas devem ser recolhidas no “Livro Negro do putinismo”. Pois a “guerra hibrida” não declarada, conduzida pela Rússia de Putin contra o estado soberano ukrainiano (segundo todas as leis internacionais), se enquadra na definição de “terrorismo”. E, disso é indispensável tirar conclusões adequadas.

No entanto, a condenação internacional do putinismo, é apenas uma parte de “acerto de contas” por tudo o que causou o regime dos “efebistas” (FSB).
Outra parte, não de menor importância, é a determinação, qual a compensação que Rússia deve pagar a Ukraina.
Ukraina, depois que Rússia sair do seu território deve receber indenização pelos prejuízos humanos, territoriais, infraestruturais, econômicos e financeiros, que os ukrainianos sofreram em resultado de política insana de Putin.
É indispensável apresentar a Moscou um relatório completo sobre a sua aventura geopolítica.

Também o próximo Tribunal Internacional sobre putinismo deve considerar as reivindicações de todas as outras vítimas da agressão russa – da Geórgia e Moldávia.

Em separado, deve estar preparada a ação judicial à Rússia da nação Tatar da Criméia.
Pois a ocupação da Criméia por Moscou e repressões de Kremlin contra os tártaros, são ações da mesma ordem da deportação ilegal de 1944.

É indispensável reunir provas para o Tribunal Internacional sobre putinismo.

É necessário criar um registro completo das perdas da Ukraina devido à destruição no Donbas da infra-estrutura residencial e industrial, minagem dos territórios ukrainianos pelos terroristas, exportação ilegal dos equipamentos das fábricas da Ukraina para Rússia, inundações de outrora exploradas minas de carvão.

Este edifício foi destruído por um ataque de foguetes das forças russo-separatistas. Lysychansk, Luhansk, 15..12.2014

Mas é igualmente importante obrigar Rússia pagar uma indenização, em dinheiro, às famílias dos soldados ukrainianos mortos, que entregaram suas vidas defendendo a independência da Ukraina.

E obrigar Moscou pagar a reconstrução de habitações de cidadãos ukrainianos destruídas pelos militantes-russos.

Mãe com criança em frente ao prédio em Mariupol, danificado pela sala de artilharia.

E às famílias de militares ukrainianos, que perderam seus chefes de família durante a guerra da Rússia com Ukraina, Moscou deve pagar as pensões até que as crianças atinjam a maioridade.

Rússia deve financiar a reconstrução dos aeroportos em Donetsk e Luhansk, restauração de estações ferroviárias, ferrovias, pontes, infra-estrutura de comunicações e total infra-estrutura das cidades, cidadezinhas e aldeias, onde os combates tiveram lugar ou tenham sido submetidos a bombardeamento dos territórios ocupados pela Rússia.

Ruínas do aeroporto “Luhansk”.
Ruínas do aeroporto internacional “Donetsk” nominado Sergei Prokofiev

Além disso, Moscou deve indenizar por danificados e tornados imprestáveis navios da Marinha das Forças Armadas da Ukraina, que estavam baseados em Sevastopol.

Também pela propriedade das unidades militares ukrainianas, que estavam localizadas na Criméia, e que ilegalmente caíram nas mãos da Rússia depois dela ocupar a península.

Não menos importante é a questão de interesses dos refugiados da zona de conflito militar e pessoas deslocadas internamente. As quais devem receber plena compensação pela propriedade perdida.

Ukraina deve formar um comando operativo de advogados e diplomatas profissionais, que começariam recolher as provas necessárias para o Tribunal Internacional, e realizar consultas regulares sobre estas questões com os aliados ocidentais.

Na verdade, certos passos nesta direção podem ser feitos agora, não esperando pelo veredicto do Tribunal Internacional.

Lema às ações para comemoração em memória dos mortos em Mariupol devido a salva de artilharia. Dnipropetrovsk, 25.01.2015.

A questão é sobre a possibilidade de nacionalização, como indenização dos prejuízos no Donbas e Crimeia, bens, ativos financeiros e bancos, que permanecem como propriedade da Rússia ou de seus cidadãos no território da Ukraina.
Este caminho é muito difícil. Embora podemos prever, que no caso da remoção de Putin do poder, será aplicado arresto na parte das reservas de ouro e valores da Rússia, que hoje está nos bancos estrangeiros.
E depois começará o pagamento de reparações pelos fundos detidos, segundo decisões do Tribunal Internacional. Isto também se aplica aos fundos, que já estão presos.

A apreensão de terras estrangeiras deve transformar-se em enormes custos ao estado-agressor.

Teoricamente, Moscou deve pagar a Ukraina com dinheiro e com parte de seu território.
E, já que o território russo a Kyiv é desnecessário, e após queda do regime de Putin pode ser que não haja moeda na Rússia, então o pagamento deverá ser em petróleo, gás e ouro.
Enquanto isso, é indispensável considerar o fato de que o Ocidente, joga com Putin aderindo claramente às leis internacionais, mas o dirigente russo joga segundo leis próprias inventada por Lavrou e companhia.

Portanto, já agora é necessário pensar, de que modo Ukraina poderá receber as compensações da Rússia por seus crimes, no território ukrainiano.

Existem diferentes métodos coercitivos de execução do veredicto do Tribunal Internacional: congelamento de contas da FR, Putin e sua comitiva no exterior, aprisionamento e confisco de seus ativos em outros países, ou a proibição de atividade financeira da Rússia nos estados ocidentais.

Se falamos sobre que quantidades concretas deve receber Ukraina segundo decisão do Tribunal Internacional sobre putinismo, então aqui falamos sobre trilhões de dólares.

Porque neste caso é indispensável adicionar a compensação pelo total do roubo feito pela Rússia por sua colonização a Ukraina durante o século.

Começamos pelo patrimônio cultural da Ukraina que, de alguma forma milagrosa apareceu no Hermitage e centenas de outros museus russos, terminando com a reparação pelo Holodomor, russificação forçada e extermínio sistemático da elite intelectual da Ukraina.

Apenas depois disso, como também retorno da Rússia de todos os valores culturais, que ela retirou da Ukraina, podemos falar se ela tem direito ao perdão.

Isto deve ser feito para que Moscou e outras parecidas capitais totalitárias do mundo, no futuro compreendam, que a captura à força, de terras estrangeiras e ataques a países vizinhos pacíficos, no futuro resultará em enormes custos ao estado do agressor.

Victor Kaspruk – analista político independente.

Tradução: O. Kowaltschuk
Advertisements
Опубліковано у Uncategorized | Теґи: , , , , . | Додати в закладки: постійне посилання на публікацію.

Залишити відповідь

Заповніть поля нижче або авторизуйтесь клікнувши по іконці

Лого WordPress.com

Ви коментуєте, використовуючи свій обліковий запис WordPress.com. Log Out / Змінити )

Twitter picture

Ви коментуєте, використовуючи свій обліковий запис Twitter. Log Out / Змінити )

Facebook photo

Ви коментуєте, використовуючи свій обліковий запис Facebook. Log Out / Змінити )

Google+ photo

Ви коментуєте, використовуючи свій обліковий запис Google+. Log Out / Змінити )

З’єднання з %s